Os chineses começaram a chegar ao Brasil em 1950. Aqui eles desenvolveram o cultivo do chá em São Paulo e trabalharam na implantação da ferrovia no Rio de Janeiro, capital do país naquele período.

Porém, foi a data de 15 de agosto de 1900 que marcou a história da imigração chinesa em terras brasileiras. Neste dia, um grupo de 107 chineses desembarcou no Rio de Janeiro, indo em seguida para São Paulo, oficializando o início da comunidade sino-brasileira.

Hoje, não é só a relação afetiva e histórica que liga os dois países. Os números provam que o comercial também. No ano passado, por exemplo, segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), as exportações de carne suína para a China cresceram 51%, em comparação com o mesmo mês de 2018.

O Brasil fornece à China grande quantidade de produtos agrícolas e minerais. Esse material é usado para alimentar os chineses e abastecer as indústrias do país. Em 2018, o país asiático foi destino de US$ 64,2 bilhões (R$ 263,2 bilhões) em exportações. Foi um aumento de 35% em relação a 2017. E a tendência é melhorar.

Aniversário da lei

Deputado Fausto Pinato, presidente da Frente Parlamentar Brasil-China

Não há sombra de dúvidas que o tempo estreitou os laços entre Brasil e China. E essa afinidade melhorou depois da lei que institui no Brasil o Dia da Imigração Chinesa, que desde o ano passado é comemorado no dia 15 de agosto. E nesta quarta-feira (26), faz um ano que essa lei, de autoria do deputado Fausto Pinato (PP-SP), está em vigor.

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu